sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

#764

Pensando bem, a maioria dos problemas das pessoas resumem-se a dinheiro. Pode parecer outra coisa à primeira vista mas é só dinheiro. As pessoas estão infelizes no seu trabalho. Se tivessem muito dinheiro, poderiam despedir-se e procurar outro sem problema. Ou então nem trabalhar. O dinheiro resolvia. As pessoas chateiam-se porque os seus carros avariam. Se tivessem dinheiro, podiam simplesmente comprar um novo que não desse problemas. E trocar passado dois anos por outro carro novo e nunca terem problemas. As pessoas discutem com os maridos/mulheres porque a casa não está limpa e está tudo desarrumado. Se tivessem dinheiro, podiam ter uma empregada a tempo inteiro que tratava de tudo e já não havia mais discussões. Se desconstruirmos os problemas, vai quase sempre dar a dinheiro. Há raras excepções como problemas de saúde sem cura e falta de amor. Mas até o amor se resolve com dinheiro muitas vezes. É como se diz, não há ricos feios, não é? Por isso, estou a tentar desvalorizar os meus problemas e chatices e pensar que é só dinheiro, no fundo. Não vale a pena pensar muito nisso, chatear-me, ficar nervosa ou triste. É só dinheiro.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

#763

Eu antes queria muito um GPS. Aqueles da Tom Tom. Cheguei a ponderar gastar uns 100, centro e poucos euros nisso, mas acabei sempre por adiar, até porque só me lembrava disso quando precisava dele e não eram assim tantas vezes, só quando ia para fora. Entretanto apareceram os smartphones, eu acabei por comprar um e ter acesso a aplicações de GPS de graça. Noutro dia lembrei-me dessa situação e fiquei muito contente comigo, por não ter desperdiçado dinheiro num GPS que agora seria inútil. E pronto, foi este o único ponto positivo dos últimos dias, lembrar-me que poupei o dinheiro de um GPS. Será que o posso gastar agora em inutilidades, para me alegrar um pouco?

#762

Estou triste. Estou farta de aturar pessoas idiotas. Estou farta de trabalhar. Estou farta do Natal e ainda nem começou. Nem sequer me tem apetecido vir escrever no blog. Nota-se muito?

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

#761

Hoje é um daqueles dias em que só quero morrer. Tudo a correr mal, desde que ainda estava em casa até ao trabalho, tudo tudo a correr mal. Tenho ódio a sair-me pelos olhos, fogo a sair pelo nariz. Hoje era um dia bom para pegar na carteira, sair do trabalho, ir para o aeroporto, apanhar um voo e não mais voltar. Só quero que acabe rápido. Ir para casa e dormir até estar tudo bem.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

#759

Tenho visto muitos passatempos falsos no facebook. No espaço de dois dias, vi três scams iguais. Aqueles passatempos que clonam páginas de empresas e dizem que vão oferecer um carro, um iphone, coisas assim caras. As pessoas são iscos tão fáceis que partilham tudo sem espírito crítico, sem repararem que a página foi criada no dia anterior e que tem um nome estranho (fnac iphone 7). Eu divirto-me e revolto-me ao mesmo tempo, a ver esta situação. Divirto-me pelas razões óbvias, revolto-me porque não consigo perceber como há pessoas tão burras que achem mesmo que vão dar um carro novo, um Mercedes topo de gama como já vi!, só por porem lá um comentário com a cor que querem e partilharem a página. Eu comento que é uma página falsa, um passatempo falso, mas ninguém quer saber, continuam a partilhar. E depois ficam chateados quando percebem que afinal não, afinal não iam dar um carro. Oooohhhh. No início não estava bem a ver qual era a técnica deste scam para fazer dinheiro, mas bastou umas horas para entender. Umas horas mais tarde aparece um post que diz para carregarem no link para 'finalizarem' a participação no passatempo. As pessoas clicam, claro, e depois pelos vistos subscrevem um serviço qualquer, que não percebi de que era, por 4,10 euros, num dos casos. Sinceramente, acho que 4,10 euros é um preço bastante pequeno a pagar pela burrice. Acho que deviam pagar 50, 100 euros até, para abrirem os olhos e não acreditarem em tudo o que vêem.

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

#758


Drift like a cloud and flow like water, seeing that all life is a magnificent illusion, a plane of energy, and that there is absolutely nothing fundamentally to be afraid of. Fundamentally. You will be afraid on the surface. You will be afraid of putting your hand in the fire. You will be afraid of getting sick, etc. But you will not be afraid of fear. Fear will pass over your mind like a black cloud will be reflected in the mirror.




Allan Watts

#757

Odeio o Windows 10. Porque é que tinham de tirar a opção de NÃO instalar as actualizações automáticas do Windows? Provavelmente porque ninguém queria essa trampa e se não obrigassem as pessoas a insatalarem, elas nunca o fariam. Agora temos mesmo de instalar, o sistema instala sozinho. É essa a razão de eu quase não conseguir usar o pc de casa. Eu chego a casa e às vezes pego no pc para ver alguma coisa rápida ou *comprar* filmes na internet. A maioria das vezes o estúpido desliga-se e começa a instalar as actualizações e nunca demora menos de 15 ou 20 minutos, entre download, reiniciar, etc. Eu acabdo por me fartar e uso o telemóvel. E isto repete-se constantemente. Eu não quero actualizações automáticas nenhumas, senhores da Microsoft. Não estou interessada, eu prefiro arriscar a minha sorte com os bugs e falhas de segurança e não perder horas de vida a instalar updates da treta. Acho que encontrei na net uma forma de parar com isso, mas ainda tenho de testar melhor. Mas podiam ajudar-nos e simplesmente pôr lá a opção Não instalar actualização automáticas e poupavam-nos andar pela deep web à procura de soluções. Humpf!

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

#756


#755

Trabalho numa zona industrial. Acontece que numa rua perto do meu trabalho, costuma estar uma prostituta. As pessoas daqui fazem piadas e gozam, mas nos dias em que calha ela estar na rua quando eu passo para vir trabalhar, fico só muito triste. Não acho qualquer piada à situação, acho triste que alguém tenha de chegar a esse ponto. Que tenha de estar na rua à espera que alguém apareça para ter sexo com ela. E fico triste por ter colegas de trabalho parvos que gozam com isso.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

#754

Vi esta notícia de manhã:





E fiquei logo a sentir-me mal. Assim uma espécie de enjoo, misturado com auto-comiseração. Triste. Muito triste.

#753

As pessoas na Amércia estão todas revoltadas porque o Trump ganhou. Mas foi isso, o Trump ganhou, com maioria de votos. Ainda que não seja maioria de votos populares, foi a maioria de votos. Acho que estamos muito pior em Portugal, onde o Governo usurpou o poder. Ganhou outro partido, outros partidos, mas eles, à traição, lá arranjaram uma solução manhosa para mandarem. Mas claro, como somos um país de mansos, toda a gente aceitou isso de bom grado.

#752


O Sapo contrata jornalistas e revisores muito bons, sem dúvida. Em minutos, vi estas duas gralhas em duas notícias:






O bem é um typo, mas o redesenha-se... por favor, burrice pura.


PS: e agora ainda vi ali mais duas palavras com espaços a menos que nem tinha reparado antes: Angelese e Shanghaino. Eles deviam mesmo apostar em bons revisores.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

#751

Notícias que provocam ataques com metralhadoras às repartições de finanças:


http://rr.sapo.pt/noticia/69011/informacoes_dadas_pelos_funcionarios_das_financas_nao_sao_vinculativas?utm_source=rss

#750

As pessoas (eu incluída) normalmente queixam-se que os camiões andam muito devagar. E realmente às vezes andam mesmo devagar, mais do que o que seria necessário. Mas o contrário é super pior: aqueles camiões pesados, pesadíssimos, que andam sempre em altas velocidades e fazem ultrapassagens malucas. Hoje cruzei-me com um desses a caminho do trabalho. Sempre em alta velocidade, a ultrapassar carros pela direita, a mudar de faixa constantemente, e, para terminar em grande, passou uma linha contínua e decidiu sair numa saída já quase em cima do separador. Super assustador mesmo.